Em jogo do ano, Corinthians e Boca decidem a América

De hoje não passa, o dia já é histórico, os ares de decisão estão por todos os cantos, dos dois países que fazem nada menos, nada mais que a maior rivalidade do futebol mundial, Brasil e Argentina. A história já está escrita, e para ambos os lados, esse dia 04 de Julho de 2012, vai ser um marco dentro do futebol. Em jogo do ano, Corinthians e Boca decidem a América.

O torcedor Corinthiano já não dorme há mais de uma semana, de tanta ansiedade para esta grande decisão. O que era um sonho, daqueles que só poderiam ser vividos numa bela noite de sono, já pode ser imaginado acordado, a realidade de uma conquista está próxima.

Conquista que vai ser histórica, o primeiro título de Libertadores do Corinthians, de forma invicta, algo que não acontece desde 1978. A espera desde a primeira participação no maior torneio de clubes da América, em 1977, para levantar esse troféu, com certeza terá um sabor especial. O Brasil parou, torcedores pintam as redes sociais de preto e branco, os trending topics não falam em outra coisa, que não seja final da Libertadores, hashtags de #VaiCorinthians estão por todos os lados, e essa é a verdadeira essência do esporte, esse é o tal do futebol.

A euforia da torcida não atinge o elenco Corinthiano, que com uma blindagem especial do técnico Tite, os jogadores mantém a concentração, o discurso é igual para todos, de que restam ainda 90 minutos de muita garra, suor, para conquistar a Libertadores.

Tite não escondeu o time, a única dúvida talvez, seja com relação a presença de Jorge Henrique, que no primeiro jogo da decisão, sentiu uma contusão, mas vem se recuperando bem. O provável time do Corinthians será: Cassio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex; Emerson Sheik e Jorge Henrique (Romarinho).

Já do lado dos Argentinos do Boca Juniors, a euforia da torcida também é grande, pois os 'Xeneizes' podem entrar para história, igualando o feito de um rival (Independiente-ARG), ao conquistar o seu sétimo título de Libertadores.

O fato curioso do Boca, foram os contratos de muitos atletas vencendo em dias antes da grande decisão. A grande maioria teve o vínculo renovado, mas o autor do gol no primeiro jogo, Roncaglia, não teve o contrato renovado, e não participará do jogo desta noite, retornando para a Fiorentina-ITA.

Com isso o técnico do Boca, Julio César Falcioni, deve mandar á campo o seguinte time: Orión, Sosa, Schiavi, Caruzzo e Rodríguez; Ledesma, Somoza, Ervitti e Riquelme; Pablo Mouche e Santigo Silva.